18 de junho de 2016

Sonhar conta mas não é tudo!

por imagens.frasescurtas.com.br
Todo mundo já teve ou tem sonhos - quem disser o contrário estará, seguramente, mentindo.  

Até os executivos de mais sucesso, com altíssimos salários, com todos os tipos de bens materiais em posse e regalias, com casamentos perfeitos, com a saúde em dia, vida totalmente "realizada", ainda sonha - imagine eu e você, "simples mortais"!?

Só deixará de sonhar quem estiver morto ou veja na morte a única solução dos problemas (é o caso do suicida potencial - e ninguém aqui é).

Experimente perguntar ao Neymar ou a Gisele Bundchen se eles ainda tem sonhos a realizar! Certeza que responderiam sim. 

Portanto, não seremos nós, parcela absurdamente maior de brasileiros, que necessitam de quase tudo para viver (alguns, para sobreviver) que deveremos deixar de sonhar!

No entanto, sonhar não é tudo! Imagine deitar-se em "berço esplêndido" e seguir sonhando e sonhando e nada fizer?  Os sonhos não te levarão a lado nenhum se com eles não houver muita batalha e pelo menos um pouco de investimento (tempo, dinheiro e bastante dedicação)! 

Sendo assim, já que não nascemos para brilhar tanto quanto Neymar ou Giselle o jeito é partir para um centro de ensino de qualidade.  

Para ajudar você a realizar o sonho de entrar numa faculdade ou serviço público nós indicamos o  MAXIEDUCA.  Uma instituição séria com excelentes profissionais na área educacional, focados no ensino virtual e na preparação de apostilas digitais e impressas. As vídeo aulas são ministradas por experientes e dedicados professores tendo como complemento, ou venda separada, o material em formato PDF; tudo isso com o menor preço do país!

Dê um Click AQUI e veja as condições de pagamento e as vantagens de estudar numa instituição séria e empenhada no sucesso do aluno!   

Além dela, indicamos alguns cursos específicos para concursos e atualizações!

CENTRO DO CONCURSEIRO AQUI

VAI ELABORAR O TCC OU MONOGRAFIA? SAIBA COMO AQUI

CURSO DE TUTELAS PROVISÓRIAS NO NOVO CPC AQUI

SONHA EM SER PERITO JUDICIAL E ATUAR IGUAL FAZEM NAS SÉRIES DE TV? NÃO SE PREOCUPE COM FORMAÇÃO SUPERIOR - PRATICAMENTE TODAS AS ÁREAS (BACHARELADO OU LICENCIATURA) PODEM - SAIBA COMO AQUI!


Por Elane F. Souza (Autora deste Blog)


14 de junho de 2016

…E quem disse que precisa ser feia para ser inteligente?

Sou do tempo que muitos acreditavam e até  diziam que, para uma mulher  ser inteligente “tinha que ser feia”!   Não sei de onde tiraram isso  - mas que  ouvi, ouvi, e não foi uma vez só!

Rótulos ultrapassados e preconceituosos que, se ainda existirem, precisam ser “derrubados”.  Recentemente aqui no Brasil a ex-miss  DF,  Alessandra Baldini  foi notícia em todos os sites de informações, inclusive no JusBrasil, onde publiquei pela primeira vez este artigo,  por ter sido aprovada para Juíza Federal com apenas 28 anos, e é claro, ser extremamente bela – anteriomente já havia sido aprovada em outros cinco concursos.   

No entanto, hoje é de outra  beldade que falaremos.  Ela conseguiu um feito “semelhante”.  Ser aceita em Harvard é tão bom quanto, ou melhor que (ser Juíza Federal) – não sei, digam-me vocês, para mim ser Juíza aqui, no meu país, é maior realização, todavia, estudar em uma universidade assim poderá ter um futuro tão bom quanto, ou melhor que o de uma juíza.

Isabela Vitta, de 19 anos, largou carreira de modelo para estudar em Harvard (Foto: Arquivo Pessoal)
Isabela Vitta, (por G1 PR, foto de Marcio Amaral)

Isabela Vitta, tem 19 anos, e um grande potencial para carreira de modelo, inclusive internacional, pois é bela que só, mas preferiu investir nos estudos pois lhe dava mais prazer, com isso foi aceita numa das mais disputadas universidades do mundo.
Garotas pelo Brasil, e pelo mundo todo, disputando “à tapa” por uma oportunidade como a que Isabela teve, de ser modelo, ter fama e fortuna “fáceis”, viver uma vida de “glamour” e despertar inveja em meio mundo de frustradas;  todavia, para ela, o mais admirável  e prazeroso são os estudos.

Pequeno relato da vida de Isabela – a futura “ Bela de Harvard”

Desde a adolescência, a estudante Isabela Vitta se viu dividida entre as tarefas escolares e a incipiente carreira de modelo. Quando pensava no futuro, o bom desempenho em ambas as atividades  lhe fazia indecisa, conciliando-as o quanto podia. No fim de março, veio a notícia que faria  a  bifurcação  no caminho  da jovem  se  transformar em trilha única:  a admissão para estudar na Universidade Harvard, nos  Estados Unidos.

Aos 19 anos, ser  aceita  para  ingressar em uma das mais renomadas universidades do mundo foi uma espécie de guinada na vida de Isabela.   Poucos anos antes, ela chegou a largar os estudos no Colégio Internacional de Curitiba para trabalhar como modelo em São Paulo. A experiência durou nove meses.

“Eu decidi voltar porque não era minha ‘vibe’ completamente.  Era uma coisa muito física, sabe? Não tinha nada muito intelectual, isso me fez muita falta e resolvi voltar”, conta.  No retorno, Isabela até tentou manter o trabalho em paralelo aos estudos, mas as exigências para admissão em universidades estrangeiras lhe exigiram toda a dedicação.
O resultado veio logo na primeira tentativa.  Dentre currículo escolar, provas, redações, cartas de recomendação, a estudante credita à entrevista o sucesso alcançado. “Ajudou bastante porque eles conseguem ver um pouco mais além do que o que está no papel: como você fala, como interage, se você não é, assim um robô”, palpita.

O futuro

A liberdade de poder escolher o curso após o ingresso no Ensino Superior, aliás, foi um dos motivos que levou a estudante ao desejo de estudar fora do Brasil.  Até o momento da decisão, Isabela deve passar pelo currículo central básico de Harvard, que inclui, dentre outras áreas de conhecimento, literatura, ciências sociais, raciocínio lógico, e escrita expositória.

Em meio às incertezas que o futuro lhe reserva nos Estados Unidos, a estudante está segura de que a conquista dela não é apenas individual.  Constantemente confrontada com a surpresa de quem não compreende como beleza e inteligência podem caminhas juntas, ela tem a resposta pronta.

“Isso é uma das coisas mais ridículas que a gente tem na sociedade. É uma sociedade muito machista, em que a mulher pode ter feito muita coisa importante e vai ser sempre lembrada pela beleza dela. É uma coisa que só acontece com mulher, porque o homem pode ser bonito, mas vai ser lembrado por todo o resto que ele fez. Eu acho que isso é uma coisa que vai mudar, e eu fico contente de fazer parte disso” conclui.

Conclusão

Assim, com a finalidade de demonstrar que beleza e inteligência podem andar juntas, citaremos os nomes de alguns “belos exemplares”, com fama e fortuna, pois assim não terão como desmentir, será uma questão de ir ao google e confirmar – anônimos e mais belos que estes existem aos montes, no entanto, não poderiam passar confiança se citássemos seus nomes, em especial as mulheres que ainda, tristemente carregam esse estigma.

Natalie Portman
É  formada em Psicologia pela Universidade de Harvard, fez diversos cursos pela Universidade Hebraica de Jerusalém, e publicou estudo sobre os processos de retenção de memórias. Ela fala seis idiomas: inglês, francês, hebraico, alemão, japonês e espanhol;

Scarlett Johansson
A atriz atingiu 1,080 pontos no SAT (Scholastic Aptitude Test), que é uma espécie de ENEM nos Estados Unidos. A pontuação máxima é de 1,600;

Kesha
Surpreendentemente, a cantora é uma das mais inteligentes no mundo das celebridades. Ela pontou 1,500 no SAT e tem um QI de 140 – o nível médio é de 100, pessoas com mais de 160 são considerados gênios;

Shakira
Assim como Kesha, a colombiana também tem 140 de QI. Mas Shakira ainda é fluente em cinco línguas e estudou civilizações antigas na faculdade;

Cindy Crawford
A top model se formou em engenharia química depois de ganhar uma bolsa para estudar na Northwestern University;

Sharon Stone
A atriz teria um QI de 154 pontos. Quando ela tinha 15 anos, ela conseguiu uma bolsa para estudar na Edinboro University;

Jodie Foster
Ela aprendeu a ler com três anos e começou a estudar teatro em uma escola francesa de Los Angeles quando ainda era uma criança;

Kate Beckinsale
Aos 6 anos, ela tinha o vível de leitura de uma criança de 11 anos. Ela é fluente em três línguas;

Dolph Lundgren
O ator, diretor e lutador também é mestre em Engenharia Química pela Universidade de Sydney. Ele tem Q.I. de 160 e fala sete idiomas: sueco (sua língua materna), inglês, alemão, francês, espanhol, japonês e italiano;

James Woods
Ator que concorreu duas vezes ao Oscar, tem o impressionante Q.I. de 180! Ele estudou Ciências Políticas no MIT e realizou pesquisas sobre Análise de Defesa e Teoria dos Jogos.

Para a maioria de nós o que resta é muito estudo, dedicação, foco já que beleza, QI elevado e talento não é privilégio de todos – infelizmente, todavia nem poderia ser assim; imagine um mundo repleto de belos, inteligentes e bem sucedidos seres, quem se habilitaria a lavar a louça?   Pensando melhor – cada um que lave a sua; a vida seria melhor  - mas deixe de sonhar e voltemos aos estudos!

Autora/comentarista: Elane F. de Souza OAB-CE 27.340-B

Foto créditos: Models.com



12 de junho de 2016

Curiosidades sobre o estupro no Brasil até 2005

No Brasil, até pouco tempo, uma "aberração" relativa ao estupro era permitida, como é, ainda hoje, em alguns países do Oriente Médio.  

O criminoso (estuprador) ficaria isento de pena (extinguia a punibilidade) se se casasse com a vítima ou um terceiro o fizesse!
Código Penal 1940

Parece absurdo, mas é a pura verdade!  

Até 2005 vigorou no Brasil os dispositivos do Código Penal (Decreto 2.848/40), artigo 107, incisos VI e VII, os quais foram revogados pela Lei 11.106/2005 - esses dispositivos permitiam tal absurdo.  

Felizmente, com a vigência da referida Lei eles perderam a validade, e nós, mulheres, passamos a ser "livres" da imposição de nossos pais e da "vontade luxuriosa" de certos indivíduos aproveitadores (criminosos).

Imagine ter que se casar um sujeito que te violou; um "tarado" asqueroso, só para preservar a "honra" e ficar livre da exposição? Muito pior que morrer solteira e virgem! 

Mas, a verdade é que os dispositivos revogados (que permitiam o casamento da vítima com o agressor) não foram pensados no bem da mulher (na vítima), eles foram elaborados para beneficiar o agressor que se livraria da pena ao se casar com a vítima ou se um terceiro o fizesse (funcionava como uma  VERGONHOSA reparação)!

Não importa o que digam: se algum pai permitiu tal barbaridade coadunou com uma lei injusta, elaborada por um Parlamento injusto e sem noção!

Por isso que sempre repetimos a máxima: "nem sempre o legal é justo, nem sempre o justo é legal"!

Além da possibilidade de estuprador se casar com a vítima e extinguir a punibilidade dele havia, também, a possibilidade dele se livrar da pena se um terceiro o fizesse!  

É inacreditável ler isso e não ficar pasma e INDIGNADA! 


Como é possível elaborar um dispositivo assim?  Interpreto como sendo uma "pena para a vítima" e um prêmio para o estuprador; pois, se ela fosse menor (entre 16 e 18 anos) e os pais consentissem o casamento, teria que conviver com o violador como esposo (se fosse ele a desposá-la e não um terceiro)!

Quando leio dispositivos asquerosos assim minha mente viaja! 

"Fico imaginando uma bela moça nos idos de 2000 que, todavia, fosse homossexual.  Ao ser violentada por certo indivíduo, o pai que já era homofóbico, preconceituoso, intolerante se aproveitaria disso para obrigá-la a casar com qualquer um, inclusive com o próprio criminoso se este se dispusesse!  No entanto, se aparecesse outro rapaz que quisesse desposá-la (e ela ainda fosse "incapaz", ou seja, menor) estaria, a pobre coitada, condenada no lugar do criminoso, pois TERIA DE FAZER ALGO QUE NÃO QUERIA e ainda assim estaria livrando o deliquente da punição merecida!

Viajaram comigo nessa possibilidade apresentada? Ainda bem que ela não existe mais.

Sobre os questionamentos apresentados acima citarei as transcrições do artigo 107 do Código Penal na época em questão; vejam:

Os incisos VII e VIII do art. 107 do Código Penal estabeleciam como causas de extinção da punibilidade o casamento da vítima com o agente e o casamento da vítima com terceiro, respectivamente.

Conforme o texto revogado do inc. VII do art. 107 do Código Penal, a punibilidade seria extinta: 


“pelo casamento do agente com a vítima, nos crimes contra os costumes, definidos nos Capítulos I, II, e III do Título VI da Parte Especial deste Código”.

Nos termos do revogado inc. VIII do art. 107 do Código Penal, também seria extinta a punibilidade: 


“pelo casamento da vítima com terceiro, nos crimes referidos no inciso anterior, se cometidos sem violência real ou grave ameaça e desde que a ofendida não requeira o prosseguimento do inquérito policial ou da ação pena no prazo de 60 (sessenta) dias a contar da celebração”.

As disposições acima transcritas abrangiam os crimes de estupro, atentado violento ao pudor; posse sexual mediante fraude, atentado ao pudor mediante fraude, sedução, corrupção de menores e rapto (arts. 213 a 221 do CP), sendo imprescindível observar as ressalvas legais que determinavam limitações ao alcance das regras.

Impunha-se a extinção da punibilidade em razão da reparação pelo casamento. Entendia-se que o matrimônio limpava a honra da vítima manchada pelo crime, constituindo, em tese, razão suficiente para a terminação dos questionamentos judiciais acerca dos fatos.

Que tal OAB 2ª FASE EM PENAL - saiba mais aqui

Concursos Abertos 

Que tipo de "limpeza de honra" era essa que isentava criminoso de pagar pelo crime da forma merecida (na cadeia)?  Não acredito que o legislador tenha pensado muito para elaborar uma lei assim - ou se pensou não tinha filhas ou se tinha, não pensou nelas!

Por Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog - ao copiar cite a fonte)



10 de junho de 2016

"Todos são iguais perante a Lei": será?

"O art. 5º, caput, da Constituição Federal de 1988 consagra que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. Deve-se, contudo, buscar não somente essa aparente igualdade formal (consagrada no liberalismo clássico), mas, principalmente, a igualdade material, na medida em que a lei deverá tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na medida de suas desigualdades. Isso porque, no Estado social ativo, efetivador dos direitos humanos, imagina-se uma igualdade mais real perante os bens da vida, diversa daquela apenas formalizada perante a lei (2009, p. 679)".

Partindo desse interessante trecho da obra do Doutrinador/Jurista Pedro Lenza, qualquer cidadão pode fazer uma ideia do que seja realmente IGUALDADE; para demonstrar o trecho em imagens procurei uma figura para servir de exemplo! 

É o "desenho" fiel das chamadas "discriminações Positivas ou Ações Afirmativas", ações essas que foram efetivadas, na maioria dos casos, no Governo do PT - verdade seja dita!

- Para você, em que lado da figura a igualdade é realmente efetivada? 

Acaso tenha respondido corretamente, como você explicaria a falta de ações governamentais para efetivar a igualdade entre todos os povos de uma sociedade?

*Para saber mais sobre Direitos Humanos Clique aqui!

*Para saber mais sobre Direito Constitucional clique aqui!

Quando discorremos acerca da igualdade não estamos querendo que a nação em que vivemos se transforme em comunista, socialista ou qualquer coisa "...ista", o que se busca, de fato, é a igualdade de oportunidades que, uma vez alcançada deve deixar de existir - em alguns casos ela deverá persistir sempre (um exemplo de medidas que devem persistir são as que incluem pessoas portadoras de deficiência); das que devem acabar são as cotas raciais e indígenas - uma vez que se tenha alcançado o patamar desejado devem acabar (e a própria medida, geralmente, vem com data de caducidade).

Veja a Lei 12.990/2014 (que prevê cotas de 20% das vagas em concursos federais), ela determinou, em seu artigo 6º, o seguinte:
Art. 6o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação e terá vigência pelo prazo de 10 (dez) anos.

Por Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog)

7 de junho de 2016

Como se apresentar em uma entrevista de emprego?

O tema deste artigo é bem interessante pois coloca em xeque uma resposta que quiçá poderia vir pronta em se tratando de entrevista para emprego:  “devemos nos apresentar vestidos formalmente, pouco perfume, pouca maquiagem; pois, segundo a maioria dos especialistas em recursos humanos – o menos é mais”! 

*SEJA VIP - PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS PSICOLÓGO

O problema dos excessos e das extravagâncias é que elas sempre acabam  chamando mais atenção do que propriamente as respostas e o Curriculum do candidato, e isso, seguramente, ninguém quer (nem o entrevistador nem o candidato - a não ser que este último tenho como objetivo causar e consequentemente ser rechaçado)!

Então, a melhor resposta para a pergunta "tema" seria: depende!

Depende do emprego que a pessoa esteja buscando.  Imagine que seja de modelo, personal trainner, tatuador,  radialista,  repórter especializado em futebol, estilista, publicitário, etc; certamente esses profissionais não estão sujeitos à máxima exposta no primeiro parágrafo.  

Já no caso de a entrevista ser para o posto de Secretária Executiva, Advogado, Administrador, Gerente e até vendedores, dependendo do ramo, o candidato deverá comparecer o  mais formal e elegante possível – não necessariamente na moda, todavia limpos, bem penteados e calçados socialmente. 

No caso das mulheres nada que seja considerado vulgar é recomendável  (maquiagem e perfume em excesso e brincos demasiado grandes não favorecem uma Secretária - muito menos minissaia e decote extravagante).

Curriculum extravagante - por Diário de Conteúdo Jurídico
Outra coisa importante a ressaltar é a maneira do candidato se portar diante do entrevistador.  Existem certas posturas que são totalmente desfavoráveis e fazem com que até um Curriculum excelente não seja levado em conta. 

*QUER SER UM EXCELENTE PERITO CONTÁBIL - CLIQUE AQUI

Exemplos esdrúxulos disso seriam: cutucar o nariz durante a entrevista; passar uma cantada no entrevistador(a); soltar um “pum” alto ou mesmo que baixo cheire mal; responder com gírias a todos os questionamentos; não olhar para a pessoa que faz as perguntas, mesmo ao respondê-las, demonstrando total falta de interesse; apresentar-se cheirando à suor; olhar constantemente para o relógio ou celular, etc.

Esses são os pontos mais importantes ao se apresentar para uma entrevista de emprego.

Além disso, evitar atitudes negativas que extremamente prejudiciais; focar nas recomendações positivas e juntamente com elas portar um Curriculum atualizado e compatível com a vaga a ser preenchida - isso é o ideal.  Agindo dessa forma fará a diferença e possivelmente será selecionado – acreditem!

*QUER APRENDER A ESCREVER MELHOR? CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS
*REDAÇÃO PARA ENEN - OS SEGREDOS DA NOTA 1000

Por Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog)
Obs.: A finalidade do mini artigo é alertar o entrevistado acerca das posturas e do curriculum, mas também fazer rir!

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner