9 de outubro de 2018

Falta de religião, preferência sexual e até liberdade de ir, vir e expressar estão em jogo

Há coisas que nem nos damos conta; no entanto, quando analisamos os pontos de vista, público e NOTÓRIO, do candidato Bolsonaro, fica clara a misoginia; aversão aos gays e toda a comunidade LGBT; aversão ao ateísmo; aversão à pobreza; à afrodescendência, aos indígenas, sem contar nas ganas que ele tem de exterminar toda classe de meliante (afinal, "bandido bom é bandido morto") - esse é o candidato declarado religioso é apoiado pela maior cúpula religiosa do Brasil; uma das opções que restaram para o segundo turno.  

Entretanto, nenhuma delas, e quando me refiro a nenhuma, refiro-me a todas que estavam em jogo - nenhuma valia a pena - imagine agora que há SOMENTE duas opções!

- O que será de nós?!


Como já mencionei nas redes sociais, o amanhã é uma incógnita que me faz entrar em pânico!

Certa vez, ouvindo uma das palestras do Historiador Leandro Carnal (um de meus palestrantes preferidos), antigamente católico, não mais, mesmo assim dedicou-se ao estudo da história das religiões - disse mais ou menos isto: "hoje vivemos em uma teologia da prosperidade e adaptação: se quero ser rico Deus me ajudará; se quero que alguém morra Deus dará uma 'forcinha'; se quero e preciso passar em um concurso, muitas vezes, ao invés de estudar bastante, prefiro dedicar-me a rogar e fazer promessas para Deus, com isso, Ele me ajudará"!  

Mas, se todo o mencionado não der certo foi a vontade de Deus, acreditamos fielmente que Ele está guardando coisa melhor para nós (somos o centro do universo para Deus e não Ele para nós - Ele cuida de mim, mesmo havendo trilhões de pessoas no mundo, Ele olha por mim - muito mais que por um morto de fome)! 


A Bíblia também foi adaptada ao que eu acho que Deus quer, não o que Ele, em tese, disse: "Não matarás, Não roubarás, Não cobiçarás a mulher do próximo, etc". Os mais influentes religiosos e políticos da Bancada Evangélica do Brasil já "deram bola fora" com a maioria dos mandamentos. 

Taí Eduardo Cunha (político, que não nos deixa mentir) e Edir Macedo, com seu filmezinho mal arrumado, mal explicado, envolvendo polícia e muito dinheiro (mas aí os 'crentes vão dizer que até Jesus foi perseguido - podem até ter razão, mas este, em teoria, era porque ajudava os pobres e amealhava multidões de seguires que não tinham nem o pão de cada dia). Macedo, no entanto, na época da perseguição, podia comer caviar e já tinha até mansão e segurança! 

Àquela história do amor de Jesus pelos pobres, desviados, excluídos, prostitutas e doentes é só para 'inglês ver'!   "O meu $ (bolso) primeiro, a minha mansão primeiro, a minha fazenda primeiro, o meu jatinho primeiro - se sobrar alguma migalhinha do que foi arrecadado do próprio pobre a gente faz uma 'besterinha' qualquer, divulga na TV, e eles ficam felizes e super agradecidos"!  É quase como 'o pão e circo' proporcionado pelo Governo na Copa e nas Olimpíadas.

Enquanto isso, as escolas religiosas e católicas, que deveriam proporcionar educação grátis, ou quase, pelo menos para os fiéis, são as mais caras (ver aqui)!  Será que pobre (irmão de fé) estuda com bolsa integral, sem ordem de preferência (por este ou aquele aluno)?   Ficaria feliz de saber que sim!

Mas, voltando ao que nos trouxe aqui, concluo:

- Onde estão as pessoas de bem desse país?  Onde estão as pessoas que dizem pregar o amor e a compaixão?  Será que estão misturados aos que pregam o uso de armas por todos?  Aos que pregam salários menores para mulheres; obediência ao homem da casa; a cura e/ou segregação gay; a elevação do caráter pela religião; a retirada das terras dos indígenas; a discriminação contra negros, etc?

Definitivamente, nunca vi tanta hipocrisia neste país, quanto a de 2015, chegando aos dias de hoje (outubro de 2018).

Sou pelo voto facultativo e atualmente desconjuro todos os partidos políticos e seus integrantes - em um país democrático de verdade as pessoas deveriam ter a opção de poder OU não votar. Os mais desenvolvidos da América do Sul e muitos do mundo todo (VEJA AQUI), não 'obriga' seu povo a votar ou justificar.

Nenhum dos candidatos disponíveis me representa - mas, o menos pior, menos intolerante e aparentemente menos hipócrita é o do PT.  

A vida, para mim, não é feita de partidos políticos e sim de pessoas e da dignidade apresentada pelo cidadão candidato - se fosse votar, era quase certo que escolhesse a opção do PT.  FELIZMENTE, novamente não irei votar - estou fora e por isso, desde já, estou "tirando o meu da reta"

Só neste sentido penso diferente de Leandro Carnal. Ele sempre diz que devemos colocar o "nosso na reta" quando falamos de nós, do povo brasileiro - afinal, fazemos parte do todo! Desta feita, no entanto, faço questão de FRISAR que estou tirando o "meu da reta" ;  pois, mais uma vez estarei fora da minha zona eleitoral.  

Mesmo assim, faço questão de admitir que o candidato Fernando Haddad ainda é a melhor opção, a mais justa e digna!

O resto é basura, disfarçada de gente de bem; de gente de família, religiosa e cumpridora dos preceitos do deus de amor dos cristãos! 

Cansada de corruptos?  SIM, igual a você que está optando por Bolsonaro e diz que é por causa disso e da violência!  Quando amanhã ela tiver ainda mais disseminada que atualmente, seguida por intolerância e segregação de algumas minorias, não digam que não foram avisados!  

Corruptos, sempre haverão (para exterminar isso, só exterminando o próprio povo brasileiro, e isso seria genocídio); agora, perder a liberdade de crença, de ir e vir, de ser o que quiser, nós ainda temos - se você fizer parte de uma das minorias que Bolsonaro pretende "meter fogo" fique esperto porque depois ninguém poderá te ajudar!  Para piorar, além da bancada evangélica, teremos também a bancada Bolsonarista!

*Se houver um Deus, que eles nos ajude agora, após o dia 28 de outubro de 2018, será tarde demais!


Imagem editada por Elane Souza 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário ou envie uma pergunta

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner