28 de janeiro de 2019

CARTA ABERTA aos CORREIOS do BRASIL (EBCT)

Caro Administrador Geral da Empresa Pública denominada ECT, ou somente Correios do Brasil. 

Venho por meio desta Carta Aberta ao público, questionar, reivindicar e protestar contra todo o sistema de trabalho da referida Empresa, que deveria ser um orgulho para o povo brasileiro, uma vez que é pública e por ser assim tem a função de servir ao povo, aos clientes, com muito cuidado e esmero - sobretudo com as encomendas que enviamos ou recebemos.

Imagem do ECT, cálculo meramente informativo - variável
Atente-se para o preço dos serviços: é um absurdo, tanto para enviar encomendas, cartas, telegramas e até vale-postal eletrônico.

Tudo é demasiado caro, não bastasse isso, ainda há a falta de profissionalismo dos separadores de produtos e também dos que fazem a entrega (os denominados carteiros de encomendas via moto e carro); os de simples cartas, quiçá se salvem dessa crítica! 

Falo isso com muito pesar porque a referida Empresa é muito necessária; todavia, deveria ser mais útil, eficaz e eficiente! 
Não apenas existir por existir e como "banco de emprego"!
Imagem ECT - sobre vale Postal Eletrônico

Há um tempo, fazia eu parte de um grupo de compras no Facebook (mas saí); naquela época já havia umas 250 mil pessoas e quase todas elas reclamavam dos correios, inclusive por recebimento de encomenda quebrada ou violada (nisso não tenho como garantir que era culpa dos correios - mas, se 'atiram' (se jogam) as encomendas de um lado para o outro, o normal é acabar quebrando coisas que são "quebráveis"); outros reclamavam que o carteiro fazia constar no sistema que tinha ido três vezes ao endereço da pessoa, mas ela não estava (no entanto, garantiam que sim, que estavam); no final das contas, depois desse anti-profissionalismo do trabalhador do Correio; as(os) clientes tinham que acordar cedo, pegar fila na Central de Distribuição, para retirar o produto "in loco" - às vezes, inclusive lá eram mal atendidos (não foi o meu caso, quando precisei ir).

Outra reclamação é quanto ao tempo. Às vezes tenho a impressão que as encomendas chegam ao Brasil e depois de Curitiba ou São Paulo, elas são encaminhadas por meio de jegues (que me desculpe os jegues - porque, quase sempre são mais rápidos)!

Questionamentos

Qual a função de um Carteiro que entrega encomenda (pacotes, pequenos e grandes)?   

Pergunto isso porque não os vejo realizando àquilo que creio ser incumbência deles!

Vivo em Recife. Este atual é o meu segundo endereço aqui, na capital.  

No anterior morava sobre um salão de cabeleireiro que abria às 7:30 da manhã e fechava às 18 ou até 19 horas, dependendo da clientela ainda estar sendo atendida. Isso, de segunda à sábado (era raro fechar às segundas). 

Resumindo: o casal proprietário desse Salão era, também, proprietário do imóvel onde eu residia com meu marido.  Eles, ou os empregados deles, estavam sempre ali para receber encomendas ou clientes; e eu, moradora do sobrado onde estava instalado o salão, ficava sempre em casa estudando para concurso (via internet). Nunca saía; só raramente e a noite quando meu marido retornava.

Conto tudo isso para que me entendam e expliquem o porquê de, duas vezes (distintas encomendas, em distintos meses), o carteiro ter retornado com minhas encomendas para a central dizendo que foi ao meu endereço (por 3 vezes), e lá não havia ninguém?!

Como assim, não havia ninguém, e durante três vezes (três dias seguidos)?

O dono do salão recebia encomendas o tempo todo, e quando ele sabia que eu estava em casa (que era sempre) falava para o carteiro bater na minha porta, cinco degraus de escada acima. Se ao menos desse um 'gritinho', eu desceria correndo, porque esperava ansiosa!

Por outro lado, será que cinco degraus é demasiado cansativo para ir três vezes (ou mentir que foi, só para não subir os degraus) e retornar com a encomenda para os correios, e eu mesma ter que ir buscar?

Recebi várias encomendas enquanto vivia naquele endereço; mas o carteiro só bateu na minha porta 1 única vez. Todas as outras foi o dono do salão que recebeu e me entregou; e duas outras vezes ele (o carteiro) 'MENTIU' que eu não estava (e por três vezes) para eu ter que ir aos correios, buscá-las - e olha que era longe, precisava pegar duas conduções; ir de táxi ou UBER, que ainda era "raro"!

Naquela época fiquei com muita raiva e sem entender qual era a função de um entregador de encomendas do correio.

Hoje acontece o mesmo!

Vivo em um condomínio de 3 edifícios de classe média baixa - cada um deles tem um síndico e um zelador. No entanto, esses zeladores não são 24 horas. Trabalho normal de limpeza e manutenção. Saem para o almoço ao meio dia e só retornam às 14 horas. Infelizmente, os síndicos ainda não tiveram a "brilhante" ideia de 'impôr" revezamento dos empregados, no horário de almoço, e assim ter sempre um disponível, até às 18 horas - mas, isso não vem ao caso, não é esse o tema da Carta.

O problema é: se não há ninguém no condomínio no horário que o carteiro chega para entregar as encomendas, existe UMA CAMPAINHA em cada apartamento e funciona SUPER BEM!

Custa tocar a campainha de cada morador e entregar a encomenda pessoalmente?  

Deve custar muito - porque nenhum fez isso, após 2 anos morando aqui, nunca vi, nem ouvi!  E olha que sou um tipo compradora "compulsiva"!

Esses carteiros, não sei como são orientados; mas uma coisa é certa: em condomínios NÃO TOCAM CAMPAINHA e acabam entregando para o primeiro ser humano que estiver perambulando dentro das instalações do condomínio. Um dia desses entregam para um invasor, ele assinará dizendo que é morador ou novo zelador, e estará tudo bem!   Quem vai ficar "à ver navios" é o coitado do morador que comprou e esperava, IMPACIENTE, pela encomenda!


Reivindicação

Acredito que todos os clientes pensam o mesmo que eu - exceto os que vivem em edifícios de luxo, onde há pessoal na portaria e segurança 24 horas do dia para receber encomendas.

Infelizmente, o Brasil não é composto por gente que vive assim; a maioria dos 'mortais' brasileiros vivem em bairros pobres, em condomínios de pobres ou em favelas de difícil acesso (e perigosas); neste último caso, tenho até pena da situação do carteiro que for destinado a um local assim!

No meu caso, vivo em uma excelente zona; alto nível, inclusive! Acredito que somos um dos poucos classe média (média baixa) da região de BV!  Um condomínio com pequenos e antigos prédios, cada um com sua portaria e identificação de número e sua devida campainha.

Por isso, a REIVINDICAÇÃO é: Toquem essa coisa!  Ela funciona; se ninguém atender é porque não há ninguém em casa, aí sim poderão voltar no dia seguinte, e no seguinte.  Só após a terceira tentativa (VERDADEIRA) é que deverão retornar com a mercadoria! 

Essa é a  sugestão que tenho quando não houver nenhum zelador disponível; e NUNCA, mas NUNCA, entregar encomendas para desconhecidos! 

Protesto

Creio que tudo que foi dito se resume também ao protesto que tinha em mente; entretanto, aproveito o campo para afirmar que não deixarei que me entreguem mercadoria rota, tampouco digam que me entregaram ou vieram aqui por três vezes e eu não estava. 

Sabendo que estava não deixarei passar sem fazer uma RECLAMAÇÃO por escrito e, até uma demanda contra os Correios (a ECT), serei capaz de propôr!

É um absurdo que uma Empresa tão grande (vinculada ao Estado Brasileiro); com um site maravilhosamente bem estruturado, trate a população de modo distinto aos parceiros públicos e as grandes empresas. 

Nós, os pequenos clientes e pequenos empresários, também merecemos respeito e consideração. 

Fica a dica, Senhor Gestor Geral ou Senhor Presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos!

Por Elane Ferreira de Souza (Advogada e administradora deste Blog e articulista no JusBrasil).

PG. do facebook: AQUI

Um comentário:

  1. Adão consta longa25/08/2019 23:06

    Boa noite doutora!
    Li o seu desabafo e em parte concordo, o grande problema hoje na empresa é que ficamos desdes 2011 sem concurso público a empresa só esta retirando funcionários, cortou horas extras, entre outras coisas.
    Contudo, o monopólio da empresa é só para cartas como a senhora mesmo deve saber, a população acha caro os serviços dos correios procure saber o valor na concorrente, fedex, dhl, entre outras que atuam hoje no país.
    Como a intensão do nosso presidente é privatizar a empresa se prepare pq o valor vai aumentar absurdamente, pois a empresa hoje por ser pública não tem aquele objetivo de ter lucro, ela deve sim se manter e não gerar prejuízo, mas sendo privada o intuito será obviamente lucro.
    Já tem algumas prospectiva dentro da empresa sobre valores e a população infelizmente irá perder muito com a privatização, pois muitas cidades não terão mais agencias dos correios pois hoje os grandes centros bancam as agencias pequenas por causa do fim social que a empresa tem.
    A empresa está funcionando hoje graças ao profissionalismo que os funcionários tem, pois se a população conhecesse a realidade da empresa, principalmente após o governo bolsonaro que tem essa intenção mesmo revoltar a população para que ela apoie a privatização.
    Espero ter ajudado um pouco, mas quando puder visite os CEEs, CDDs, grandes centros de tratamento e veja o quento de carga fica parada lá todos os dias pq não tem funcionário.
    Por fim, ratifico que a intenção da alta administração hoje é passar a pior imagem da empresa possível, cortando horas-extras mais carga fica parada nas unidades, cortando os sábados, etc...
    É lamentável....
    Abs

    ResponderExcluir

Faça sua pergunta ou comentário. É um prazer respondê-lo!

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner